Oratória no Tribunal do Júri – Técnicas de Defesa, Teoria e Prática

Autores: Ernesto Coutinho Júnior - ISBN 978-85-61544-74-4 – Edição 2021 – 244 páginas  - Formato: 16x23cm - Acabamento: Brochura

SKU
978-85-61544-74-4
Preço Promocional R$72,00 Preço Normal R$89,00


Este livro foi cuidadosamente pesquisado e estudado de forma diferenciada por seu conteúdo insólito, pormenoriza as características da oratória; como expressar bem as palavras; como cadenciar o ritmo; como imprimir o ritmo com maior velocidade; como construir a retórica (Negra) sofista;  como construir a retórica (Branca) razão; como vencer o debate mesmo sem ter razão (Dialética Erística) e seus 38 estratagemas; como desenvolver o processo maiêutico; como desenvolver o processo Socrático; como pronunciar bem as palavras com uma loquacidade inimaginável; como aprender o método desenvolvendo as seis inteligências e concluir a fala de forma vibrante colocando o método em prática e passando a ser imbatível em suas atuações.

A postura de como se posicionar, de como gesticular, a dialética viva, a retórica, aliada a boa fluência verbal e o referencial do conhecimento jurídico, são requisitos importantíssimos para de início tatear o estreitamento das atenções em referência ao corpo de jurados, ou ao auditório de cursos e palestras; contudo, não será tão suficiente para captar essa ligação. É preciso estender o lado sensitivo, psicológico e geográfico de si próprio para analisar o perfil de cada jurado através do aspecto da atenção dos mesmos no ato da encenação da defesa ou acusação, sempre mesmo com a expressão do olhar, transparecendo autoconfiança, verdade, no elevado trato e lisonjeio ao grupo de jurados, tratando-se como membros tão importantes quanto aos demais do Tribunal do Júri.

Enfim, o duplo valor da retórica como arte e ciência, como saber e modo de como comunicar o saber, faz dela também um poderoso instrumento em utilizar a pura essência do ser.

A elegante oratória, segura de sua simbologia e de sua objetivação, convoca a todos os profissionais para aprender a se sentir na teoria e na prática “UM VERDADEIRO ORADOR”.

A obra ainda conta com 04 livros áudios para download, são elas: “Oratória; Legítima Defesa no Tribunal do Júri; Persuasão e Retórica; Como Vencer o Debate”.

 

1. Introdução

2. Análise heurística

3. Petição de princípio oculta

3.1. Perguntas em desordem

3.2. Encolerizar o adversário

3.3. Perguntas em ordem alternada

3.4. Pista falsa

3.5. Salto indutivo

3.6. Manipulação

3.7. Alternativa forçada

3.8. Falsa proclamação de vitória

3.9. Várias modalidades do argumentum ad hominen

3.10. Distinção de emergência

3.11. Uso intencional da mutatio controversiae

3.12. Fuga do específico para o universal

3.13. Uso da premissa falsa previamente aceita pelo adversário

3.14. Falsa alegação de petitio principii

3.15. Impelir o adversário ao exagero

3.16. Falsa reductio ad absurdumI

3.17. Falsa instância

3.18. Retorsio argumenti

3.19. Usar a raiva

3.20. Argumento ad auditores

3.21. Desvio

3.22. Argumentum ad verecundiam

3.23. Incompetência irônica

16 Ernesto Coutinho Júnior 3.24. Rótulo odioso

3.25. Negação da teoria na prática

3.26. Resposta ao meneio de esquiva

3.27. Persuasão pela vontade

3.28. Discurso incompreensível

3.29. Tomar a prova pela tese

3.30. Último estratagema: Ofensas pessoais

4. Como escapar do pensamento convencional?

4.1. Função persuasiva (argumentação e oratória)

5. Função heurística

6. Fundamento sofístico da retórica

7. Isócrates ou Platão?

8. Retórica de cozinha

9. Aristóteles, a retórica e a dialética

9.1. Uma definição mais modesta

9.2. A argumentação de Aristóteles

10. O que é dialética?

10.1. A dialética é um jogo

10.1.1. Tudo para ganhar

10.1.2. Respeitar as regras do jogo

10.1.3. Unidade do jogo dialético

10.1.4. Função homilética da dialética

11. Retórica e dialética

11.1. O que elas têm em comum

11.2. Dialética, parte argumentativa da retórica

11.3. Modalidade da retórica

11.4. O sistema retórico

11.4.1. As quatro partes da retórica

11.5. Invenção

11.5.1. Os três gêneros do discurso

11.5.2. Os três tipos de argumento: etos, patos e logos

11.6. Quais são os pilares da retórica?

11.7. Quem eram os sofistas?

12. Como Aristóteles inventou os princípios da redação web?

13. Provas extrínsecas e provas intrínsecas

Oratória no Tribunal do Júri 17 14. Persuasão e retórica

14.1. Os três gêneros da persuasão

14.2. Diretriz geral da persuasão

14.3. As repetições

14.4. A premissa básica da retórica

14.5. Elaboração de um discurso

14.6. A retórica platônica evidenciava a verdade

14.6.1. Evidenciava a verdade

14.7. Forma e conteúdo (o sentido pejorativo da retórica)

14.8. Retórica branca (persuasão)

14.9. Retórica negra (manipulação)

15. Retórica

15.1. Natureza e finalidade da retórica

15.2. Conflito entre retórica e filosofia

15.3. A Retórica de Aristóteles

15.4. As três espécies de retórica ou gêneros de discurso

15.5. As espécies de retórica e respectivos tópicos

15.5.1. Retórica deliberativa

15.5.2. Retórica e epidíctica

15.5.3. Retórica judicial ou forense

15.6. Definição da retórica e sua estrutura lógica

16. Ironia e maiêutica

16.1. Ironia

16.2. Maiêutica

16.3. “Só sei que nada sei” e a importância da ignorância

17. A vida sem questionamentos não vale a pena ser vivida

17.1. O Método Socrático e o Mito da Caverna de Platão

18. Teoria e Prática no Tribunal do Júri

18.1. Funções do promotor em um julgamento no Tribunal do Júri .. 117 18.2. Legítima defesa antecipada

18.3. Injusta agressão

18.4. Agressão atual ou iminente

18.5. Defesa de direito próprio ou de terceiros

18.6. Utilização moderada dos meios necessários

18.7. Elemento subjetivo

18 Ernesto Coutinho Júnior 18.8. Legítima defesa antecipada como causa supralegal de exclusão da ilicitude

18.9. Legítima defesa no Tribunal do Júri

18.9.1. Dos requisitos da legítima defesa

18.9.2. Da legítima defesa putativa

18.9.3. Tréplica

18.9.4. Da ausência da qualificadora de motivo fútil

18.10. Interpretação da legítima defesa clássica e a putativa

18.11. Legítima defesa própria ou de terceiros

18.12. “Psicose” de Alfred Hitchcock aplicado no Tribunal do Júri

18.13. Como construir a retórica de um crime de homicídio premeditado, do marido assassinando a esposa enquanto dormia? (Caso concreto)

18.14. O processo de Franz Kafka utilizado como retórica no júri

18.15. Tribunal do júri aplicado ao caso concreto da mãe que matou o filho primogênito

18.16. A nobreza do direito descaracterizando a prova processual penal

18.17. Construção da retórica de um sábio observador de causas aplicado no Tribunal do Júri

18.18. Retórica no júri: Júlio César de Shakespeare aplicado em caso concreto

18.19. Treinamento psicológico do inconsciente e consciente para utilizar em um debate argumentativo

18.19.1. O processo de aprendizado

18.19.2. Competência consciente

18.19.2.1. Os quatro estágios da competência

18.19.3. O Aprendizado

18.19.3.1. Primeira realidade: “Não sei que não sei”!

18.19.3.2. Segunda realidade: “Sei que não sei”!

18.19.3.3. Terceira realidade: “Sei, se prestar muita atenção”!

18.19.3.4. Quarta realidade: “Sei”!

Bibliografia

WA button